Slide toggle

Welcome to Zass

Zass is a powerfull WordPress / Woocommerce theme with a modern, pixel perfect design suitable for handmade artisans, craft businesses and portfolio websites.

This is a custom, collapsible widget area. Use it like any other sidebar and easily place any number of widgets here.

Have a Question?

Monday - Friday: 09:00 - 18:30 409 Mladost District, Sofia Bulgaria +359 2 123 456 +359 2 654 321 [email protected]

Categoria: Extrato de Nogueira

Primeira de 2014 – Somos o que fizemos de nós.

Primeira postagem, primeira pintura do ano, iniciada no fim de dezembro e terminada agora no inicio de janeiro.
Continuando minha pesquisa, tentando sugar o máximo da técnica, dos símbolos e imagens que vão se acumulando em meu repertório.

Desenho 66 – Devaneio 21 – Lacuna

Retrato feito tendo um fotografia como referencia

Técnica: extrato de nogueira sobre papel, finalização Photoshop

Lacuna

 

“A Sua falta é uma lacuna…

Tão real e sólida quanto aquelas

Que mantêm em pé

O prédio ao qual você não está.

E o que antes era a dor de esperar alguém

Que não se sabe que virá,

Hoje é a dor da certeza,

De que você não vai estar lá.

Por outro lado é leve,

Pois não tenho por que de desejar,

Nem motivos para me forçar.

Apenas a bela saudade,

E o conforto de pensar em você,

Bem, ou tentando bem estar,

Às vezes longe, às vezes no mesmo lugar.

Às vezes a culpa é apenas do céu,

Da impressão que nos dá,

Que o sol andou, e com ele mudou

Tudo e todos de lugar…”

Guerreira – Desenho 65 – Devaneio 20 – E se todas as rosas…

Técnica: Nanquim, Pintura Digital.

Olá a todos, como fim de férias terminei a cor dessa ilustração que é um pouquinho velha, o desenho eu devo ter feito a uns dois anos, por isso não gosto muito do resultado da arte final, proporção e tudo mais. como eu já tinha começado a colorir resolvi terminar pra treinar.

abraços a todos.

e mais um devaneio.

E ainda que todas as rosas nascessem vermelhas

E como se na dor fosse mais bonito vê-las

E se nada fosse um grande vazio

E sem sentido vagássemos por entre as estrelas…

Ou se perdendo como um gato vadio

A procura de algum novelo…

 

Ainda assim seria dor a vida,

Seria êxtase e desespero

Pois nada é tão certo quanto o incerto

Nada é tão verdade quanto à falta do verdadeiro,

Nada é apenas nada quando tocamos o concreto.

 

E ainda que todas as rosas crescessem belas

E toda sua vida dependesse delas

E se o vermelho fosse o seu sangue

E as pétalas desabrochassem nas batidas de seu coração

Nada disso seria tua certeza

E nada porém, seria em vão.

 

Desenho 56 ( Auto-retrato TnTema ) Devaneio 13 e 14 ( Eu…) e ( Eu 2)

 

Finalmente atualizando!

Por falta mais de estimulo do que tempo, fiquei sem terminar umas 5 ilustras hahaha, vou termina-las e em breve aparecerão aqui!

por hoje, mais uma para o TNTema. Auto-retrato.

e Devaneiso que são auto-retratos.

Eu….

Eu sou o meu destino
Eu sou a minha esperança
Eu sou os meus desejos
Eu sou minha abonança.

Eu sou o avesso do comum
Eu sou a cópia do que desconheço
Sou o caminho desconhecido
Sou o que sempre volta ao começo

Sou o que ama veladamente
Sou o que te deixa rosas no armário.
Eu sou o que se esconde de si mesmo
Eu sou o que se conhece no espelho
Eu sou apenas o que sou…
Não ser o que quero é o meu medo.
Não ter o que sonho é minha sina.

Eu 2

Sou estrada
Não sou estação
Sou pegadas,
Sou apenas ilusão

Não sou um porto
Sou o mar…
Eu sou o vento
Que vai te levar.

Não sou o sonho,
Sou apenas o sono,
Não sou a felicidade
Mas levo até ela…

Sou o corredor
E não o quarto ou sala
Não sou cômodo algum.

Sou o vácuo do silencio
Sou o que se cala entre seus pensamentos.

Sou o inconstante e o mutável,
Sou o que não pode ter nem desejar
Pois nada fica por mim,
Tudo passa, leva-me um pedaço…
E deixa-me ao descaso.
Sou o que proporciona amor…
E nunca, porém, é amado…

Sou transparente,
Por muitas vezes invisível,
Mostro-te o desprezível,
Convenço-te do indivisível.

Mas e você quem é?
O melhor de mim pode levar,
Eu não vou me importar.
Não peço nada em troca,
Dou o que acho que devo dar,
Por isso posso me machucar,
Você…
Talvez nem vá ligar…
Mas serei sempre a janela
Que te mostrará um belo luar.

Ultimos desenhos


O Ultimo Olhar

Estes dois são estudos para xilo que acabei viajando e me deixando levar…. apenas pela construção não ligando de como passar isso pra madeira depois… e bom não vou mais passar para madeira… hahaha… mas gostei de desenhar no preto! 😛 …

e ah… o primeiro é o finalizado O ultimo olhar. o meu projeto me inspirou mais temas… em breve quem sabe postareia mais alguma coisa aqui…
abraços.

Série, e novos desenhos


Sabado

Quarta

Esses são trabalhos da mesma série Ansiedade e Angustia que ja postei aqui…
apenas para atualizar e deixar mais essa marca …
os proximo desenhos naseram da pesquisa para xilogravura… mas criaram asas… aguardem… até a proxima.

Desenho 25 e 26 (“Lembranças e Janelas”e “Três Corações”) devaneio 8

Lembranças e Janelas . técnica mista

Três corações, aguada de acrilica e guache sobe papel.
Esses são a continuação do meu trabalho… ainda com os mesmos principios dos trabalhos anteriores…. falam da auséncia, a busca… os vestigios a sobra… os proximos posts serão os ultimos trabalhos dessa série… depois deles vou mudar o formato e o suporte… tentar configurações diferentes.
em seguida devaneio 8

Aos Poucos tudo vira nada.

Aos poucos tudo vira nada
O tempo leva a todos pela mesma estrada
Até mesmo um grande amor é esquecido
Restando apenas sobras do que foi vivido.

Aos poucos tudo vira nada
Lindas jornadas viram pegadas
Dos mais belos sonhos sobram vestígios
Se esquecem de si próprios em pequenos esconderijos

Aos poucos o amor vira dor
E toda dor aos poucos se apaga
Alguém que nunca de fato existiu
Caminhando pela vazia madrugada

Aos Poucos tudo vira nada
Pois ficaremos vazios no fim da jornada
Pois esperamos sempre que tudo passe
O tempo é um rio e nós uma jangada.

E Aos poucos tudo se acaba
Em um lampejo, um desejo
Seu beijo que nunca sentirei
Nos sonhos que nunca viverei

Aos poucos tudo vira nada
Você será apenas uma lembrança
Nem boa nem ruim, uma lembrança apenas…
Do que fiz de mim.

o elefante (desenho 13) Devaneio 6 Sofrimento Pedido


Extrato de Nogueira e Nanquim em Canson .

Eram sete e alguma coisa da manhã e me deu vontade de desenhar elefante, ahaha saiu este ai que depois finalizei… obrigado a todos pelos comentários! são motivadores!

Sofrimento pedido

Encostei-me a ti sabendo que era vento
Sabendo que era tempo
Que passa e não volta mais

Abracei-te como ao um sonho
E por saber que era sonho
Deixei o sonho me levar

Por isso…
Sabendo que era folha
Que planava ao vento
Sabendo que o desejo
Em forma de acalanto
Não pude nem chorar
Não pude ao menos clamar
Quando a brisa soprou
Quando o tempo passou
Quando o sonho acabou
Quando o tempo à folha secou.

Circofagia, Desenho 9

Guache e estrato de Nogueira em Madeira.
esse painel tem uns 2 metros e poco de altura eu acho e um de comprimento. (possivelmente)
bom era grande hahaha!!
ajudei na festa Circofagia da minha adorada e antiga escola Ete Carlos de Campos ou KK para os intimos.
show